quarta-feira, 31 de agosto de 2016

“CANALHA, CANALHA!” – REQUIÃO TRANSCREVE FALA DE TANCREDO NA FRENTE DE AÉCIO

30/Aug/2016   Redação Pragmatismo

 “Canalha! Canalha! Canalha!”. Roberto Requião transcreve fala de Tancredo Neves no golpe de 1964 e provoca grande desconforto no neto Aécio Neves. De uma só vez, Requião expôs a hipocrisia dos senadores mineiros, que, atônitos, assistiram ao discurso

Senadores de Minas, Anastasia e Aécio assistem ao discurso de Roberto Requião (vídeo abaixo)

Ao discursar na sessão de julgamento do impeachment desta terça-feira (30), o senador Roberto Requião (PMDB-PR) relembrou a emblemática declaração de Tancredo Neves ao golpista Auro de Moura Andrade, em 1964.

Moura Andrade declarou vaga a Presidência da República antes mesmo de Jango sair do país, consumando o golpe. “Canalha! Canalha! Canalha!”, disse Requião, repetindo Tancredo.

A fala de Requião foi direcionada aos senadores de Minas Gerais, especialmente Antonio Anastasia (PSDB) e Aécio Neves (PSDB), que assistiram atônitos ao discurso (vídeo abaixo).

“Anastasia praticou as pedaladas fiscais lá em Minas, mas não tinha Eduardo Cunha e nem um centrão querendo sangue para contestar. A inocência deste relator (Anastasia foi relator do impeachment no Senado) é a mesma de Moura Andrade declarando vaga a Presidência”, afirmou.

Requião disse que o Senado está prestes a repetir a ignomínia de março de 64. Para o senador, em alguns anos, o Congresso Nacional declarará nula a sessão do impeachment de Dilma.

“O que se pretende? Que daqui a alguns anos se declare nula esta sessão, como declaramos nula a sessão que tirou o mandato de Goulart, e peçamos desculpas à filha e aos netos de Dilma?”, questionou.

Requião ainda fez previsões catastróficas para o futuro pós-Dilma e sentenciou: “Se, mesmo sem culpa esta Casa condenar a Presidente, que cada um esteja consciente do que há por vir! Que ninguém, depois, alegue ignorância ou se diga trapaceado, porque as intenções do Vice, que quer ser titular, são claras, são solares!”.


Nenhum comentário:

Postar um comentário