terça-feira, 30 de agosto de 2016

SEM PEDALADA, ROMBO NAS CONTAS DO GOVERNO CRESCE 140% E SOMA R$ 18,6 BI EM JULHO

  30/08/2016   EDUARDO CUCOLO   DE BRASÍLIA



As contas do governo federal fecharam o mês de julho com déficit de R$ 18,6 bilhões, aumento de 140% em relação ao resultado negativo do mesmo período do ano passado, já descontada a inflação do período.

No mês passado, o Tesouro Nacional realizou o pagamento semestral de subsídios para os bancos públicos, no valor de R$ 9,2 bilhões. Desde o início do ano, o governo adotou a regra de dois pagamentos ao ano, de forma a acabar com as "pedaladas fiscais" adotadas no governo Dilma.

Os dados divulgados nesta terça-feira (30) pelo Tesouro Nacional mostram ainda déficit de R$ 51,1 bilhões no acumulado do ano, ante R$ 8,9 bilhões nos sete primeiros meses do ano passado.

As contas do governo federal fecharam o mês de julho com déficit de R$ 18,6 bilhões, aumento de 140% em relação ao resultado negativo do mesmo período do ano passado, já descontada a inflação do período.

No mês passado, o Tesouro Nacional realizou o pagamento semestral de subsídios para os bancos públicos, no valor de R$ 9,2 bilhões. Desde o início do ano, o governo adotou a regra de dois pagamentos ao ano, de forma a acabar com as "pedaladas fiscais" adotadas no governo Dilma.

Os dados divulgados nesta terça-feira (30) pelo Tesouro Nacional mostram ainda déficit de R$ 51,1 bilhões no acumulado do ano, ante R$ 8,9 bilhões nos sete primeiros meses do ano passado.

Como têm ocorrido em todos os meses deste ano, os números são os piores já registrados pelo Tesouro, cuja série histórica começa em 1997.

O Congresso autorizou o governo a fazer um déficit de até R$ 170,5 bilhões em 2016. O déficit acumulado em 12 meses soma R$ 163,3 bilhões até julho deste ano, cerca de R$ 10 bilhões acima do verificado até junho. 


Nenhum comentário:

Postar um comentário