domingo, 28 de agosto de 2016

SUPREMO ESTÁ INTIMIDADO DEMAIS PARA SUSPENDER O IMPEACHMENT, DIZ SERRANO


Jornal GGN - A sessão final do julgamento do impeachment de Dilma Rousseff (PT) começou nesta quinta (25), sem nenhuma perspectiva de que o Supremo Tribunal Federal atue na questão mais polêmica desse processo, que é o mérito da denúncia, uma vez que o Ministério Público Federal apontou que a presidente eleita não cometeu crime com as pedaladas fiscais.

Para o jurista Pedro Serrano, o Supremo não deve acolher nenhuma das ações apresentadas à Corte em defesa de Dilma. "O Supremo me parece intimidado pela onda de opinião, pela mídia e pelo próprio Legislativo”, avaliou.

Em entrevista à RBA, Serrano disse que o Brasil vive um processo que tem se alastrado em países vizinhos. “O que se vê na América latina é que o Judiciário acaba, como em Honduras e Paraguai, coonestando com as ilegalidades do Legislativo. O Judiciário ajudou a desconstruir a imagem dos governantes de esquerda, anteriormente ao afastamento dos chefes de governo em Honduras e Paraguai, o que no Brasil foi exercido muito por operações da Polícia Federal, Ministério Público e Lava Jato, que tiveram o papel de desconstrução do governo da Dilma”, pontuou Serrano.


Por Eduardo Maretti


Nenhum comentário:

Postar um comentário