sexta-feira, 13 de janeiro de 2017

PROCURADOR CITA TEMER NO CASO CAIXA

13 DE JANEIRO DE 2017

Petição sobre o esquema de corrupção envolvendo a Caixa Econômica Federal traz citação do nome de Michel Temer por parte do procurador da República Anselmo Henrique Cordeiro Lopes; o relatório cita o "indivíduo Desirre" - referência a Roberto Derziê de Sant'Anna, aliado de Temer e atual vice-presidente de Governo da Caixa - em uma operação suspeita de R$ 50 milhões; no documento, endereçado ao juiz federal Vallysnei de Souza Oliveira, de Brasília, contém pedidos de diligências e providências relacionadas à investigação

247 - Em um relatório da Operação "Cui Bono?" ("A quem beneficia?"), sobre o esquema de corrupção envolvendo a Caixa Econômica Federal, o procurador da República Anselmo Henrique Cordeiro Lopes cita o nome de Michel Temer.

O procurador menciona o "indivíduo Desirre" - referência a Roberto Derziê de Sant'Anna, aliado de Temer e atual vice-presidente de Governo da Caixa - em uma operação suspeita de R$ 50 milhões.
Confira aqui a íntegra do documento. Temer é citado no primeiro parágrafo da página 3.

Segundo a PF, que analisou troca de mensagens de celular entre o ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha (PMDB-RJ) e o ex-ministro Geddel Vieira Lima, que comandavam o esquema, os dois mencionaram o aliado de Temer como um dos servidores da Caixa que ajudariam a liberar os R$ 50 milhões para empresas do Grupo Constantino.
De acordo com as investigações, Cunha e Geddel cobravam propina de empresários para liberar crédito junto ao banco, no período em que Geddel ocupava o cargo de vice-presidente de Pessoa Jurídica na instituição. A operação do Grupo Constantino, do empresário Henrique Constantino, renderia propinas ao grupo.
Derziê de Sant'Anna era diretor-executivo de Pessoa Jurídica do banco na época que ocorreram os diálogos, em 2012. Quando passou a ocupar a a vice-presidência de Riscos da Caixa, foi exonerado por Dilma Rousseff, em abril de 2016, depois que o PMDB de Temer aderiu ao impeachment. Após assumir a presidência, Temer voltou a nomeá-lo na diretoria da Caixa, mesmo tendo o nome citado em investigações.
No documento, endereçado ao juiz federal Vallysnei de Souza Oliveira, de Brasília, há pedidos de diligências e providências relacionadas à investigação.










Nenhum comentário:

Postar um comentário