domingo, 21 de janeiro de 2018

MOVIMENTOS PRÓ-LULA COMEÇAM A MONTAR ACAMPAMENTO EM PORTO ALEGRE

21 de janeiro de 2018




Nem mesmo a chuva do domingo impediu que a estrutura que vai abrigar os mais de cinco mil integrantes de movimentos sociais de todo o Brasil, no Anfiteatro Pôr do Sol, iniciassem. A expectativa é de que mais de 30 mil apoiadores se reúnam em Porto Alegre. Durante o dia chegaram os primeiros grupos da Frente Popular que ficarão, pelo menos, até quarta-feira no chamado Acampamento pela Democracia e em Defesa do Direto de Lula ser Candidato, quando ocorre o julgamento do recurso do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva no Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4).


O local, às margens do Guaíba, recebe atenção da Brigada Militar (BM), que está com viaturas dispostas em pontos estratégicos para garantir a segurança de quem trafega e também dos grupos pró-Lula. De acordo com o Movimento Sem Terra (MST), os caminhões descarregaram a estrutura utilizada para abrigar os trabalhadores no início da manhã do domingo e cerca de 200 pessoas se envolvem na construção das tendas para plenária de debates, alojamento das caravanas, cozinha e centro de saúde.
Morador de Hulha Negra, sudoeste do Rio Grande do Sul, e integrante do MST, Ildo Pereira, 37 anos, disse que além de lona serão usadas taquaras e madeira para a estrutura. “Temos uma grande infraestrutura, como haverá muitas crianças temos uma equipe de 25 médicos nossos, formados em Cuba, que darão toda a assistência necessária. Também temos os responsáveis pela alimentação e a segurança no entorno”, detalhou.


Depois das bravatas do prefeito de Porto Alegre e das manobras do MPF para restringir o direito de manifestação, os movimentos da Frente Brasil Popular iniciam na tarde deste domingo no Anfiteatro Pôr do Sol a montagem da estrutura do Acampamento pela Democracia e em Defesa do direito de Lula ser candidato.



Os caminhões já descarregaram a estrutura e mais de 200 trabalhadores rurais Sem Terra estão envolvidos na construção das tendas para plenária de debates, alojamento das caravanas, cozinha e centro de saúde.


A largada da jornada será dada nesta segunda-feira, com a marcha de 5 mil camponeses do MST e Movimento dos Pequenos Agricultores (MPA), da Ponte do Guaíba (BR 116) até o local do acampamento, que começará a receber as delegações. Haverá, a partir das 14h, um seminário sobre arbitrariedades do processo contra o presidente Lula.

Na terça-feira, os acampados marcham até o auditório Dante Barone, na Assembleia Legislativa, para o ato das mulheres pela democracia, a partir das 10h.
No período da tarde, o coordenador do MST e da Frente Brasil Popular, João Pedro Stedile, participa de seminário sobre a conjuntura brasileira, a partir das 14h.
O grande ato tem concentração a partir das 17h na Esquina Democrática, onde será o ato político, que será seguido por uma marcha pelo centro até o Anfiteatro Pôr do Sol, que será o local da Grande Vigília pela democracia, que acompanhará a 2 quilômetros do TRF 4 o julgamento do ex-presidente Lula.


 

Fonte: Notícias Brasil Online & MST














Nenhum comentário:

Postar um comentário