quarta-feira, 9 de janeiro de 2019

SINTRAP COBRA DO PREFEITO FÁBIO GENTIL A AMPLIAÇÃO DA JORNADA DE TRABALHO E O ABONO SALARIAL

9 de janeiro de 2019



 AMPLIAÇÃO PARA REGULAMENTAR DA SEGUNDA JORNADA


Enquanto persistir a sociedade de classes a luta dos trabalhadores contra os seus opressores será árdua e permanente. A nossa tarefa será sempre a vigilância e a mobilização para organizar e manter a luta. Os trabalhadores não podem criar ilusões com mudança de governo, porque todos agem para garantir seus interesses políticos e econômicos – sempre contra os trabalhadores.

Desde 2017, os trabalhadores da educação vem organizando a luta pela regulamentação da segunda jornada, elaborando e encaminhando um Projeto de Lei e sistemáticos ofícios para agendar uma audiência com o Prefeito e discutir a pauta. Mas a indiferença e do desrespeito foi a resposta do Prefeito Fábio Gentil, postura que obrigou os professores a intensificar o movimento, partindo para ocupação da Prefeitura, semanalmente, inclusive, com paralisação das aulas.  

O mais revoltante é que, quando, enfim, o Prefeito recebeu os professores, chegou ao cúmulo de demonstrar total desconhecimento da luta por um direito que, na prática, já foi efetivado, pois vários professores vem há vários anos trabalho diário, árduo e exaustivamente em duas jornadas.  E, subestimando a inteligência dos trabalhadores, o prefeito e seu exército jurídico encaminham ao SINTRAP um parecer com argumentos frágeis e de fácil contestação, chegando a ser desrespeitoso e agressivo. O principal, se relaciona à farsa que foi o concurso realizado em 2018, alegando que os aprovados seriam suficientes para suprir as demandas do município. Justificativa que provoca até risos.

Todos sabem, que o número de vagas oferecidas não atendeu, sequer, um terço da verdadeira necessidade do município: professores da Educação Infantil, 198 classificados, quando o número de contratados ultrapassa 200; na Educação Especial são 32 classificados, para 92 contratos. Dentre os contratados não estão inclusas as dobras, que se aproximam de 300. No Ensino Fundamental, a coisa é ainda mais grave, os contratados ultrapassam 1000.

Os professores não estão na luta por opção, mas em defesa de suas vidas!!!! Alguns já gastaram suas energias em duros anos em sala de aula, adquirindo e acumulando várias doenças. Hoje, estão na luta para manter a vida ao menos nos limites que permitam sobreviver.


  SALÁRIOS BAIXOS: CONSEQUÊNCIA, SOBRA DOS RECURSOS  



Desde o governo dos Marinhos, passando pelos, os professores de Caxias-MA vêm recebendo o pior salario da região, o que tem por consequência uma sobra sistemática de recursos do FUNDEB ao final de cada ano. E somente com a manutenção da luta, esse recurso foram algumas, e poucas vezes, repassados em forma de abono.

Quando enfim os trabalhadores se viram livres da peias dos Coutinhos, os Gentis/Marinhos assumem o governo e mantém a mesma política predatória, de baixos salários, mantendo a sobra de recurso do FUNDEB. E da mesma forma que os governos anteriores, os Gentis/Marinhos se negam a pagar o abono aos professores.  
O SINTRAP não defende a política de abono, a defesa é sempre por reajuste salarial, mas, uma vez havendo sobra ocasionada pelos baixos salários, deve a mesma ser repassada aos professores em forma de abono.

Em 2018, a sobra do FUNDEB, após o pagamento da folha mensal, 13° e demais despesas do mês, foi de 3 milhões e novecentos mil reais. Desse valor os Gentis já transferiram 3 milhões e cem mil reais para a conta reserva de pagamento do 13°, que já está pago, tentando, portanto, esconder a evidente sobra. Mas os representantes do SINTRAP, no Conselho, estão vigilantes na movimentação dos recursos, e, por isso denunciam a tentativa do prefeito Fábio Gentil de desaparecer com a sobra dos recursos e não repassar aos professores, como manda a lei, pois, o FUNDEB SIGNIFICA VALORIZAÇÃO DO MAGISTÉRIO.

ABONO SALARIAL JÁ!


                       

SINTRAP












Nenhum comentário:

Postar um comentário