terça-feira, 19 de março de 2019

BOLSONARO NÃO ESCAPOU DA FOX NEWS, QUE EXPÔS SUA BOÇALIDADE

19 de março de 2019






Contumaz fugitivo de entrevistas, desta vez Jair Bolsonaro não teve como escapar, e a Fox News, rede associada à Donald Trump, pode fazer suas perguntas ao mandatário brasileiro; a emissora surpreendeu e não aliviou para o "Trump dos trópicos"; fez, a rigor, as perguntas que a imprensa independente brasileira vem se fazendo há meses; desde a ligação com a execução de Marielle Franco até a ligação com as milícias, a repórter Shannon Bream quebrou o protocolo de inércia que a imprensa tradicional brasileira trava com a atual presidência




247 - Contumaz fugitivo de entrevistas, desta vez Jair Bolsonaro não teve como escapar, e a Fox News, rede associada à Donald Trump, pode fazer suas perguntas ao mandatário brasileiro. A emissora surpreendeu e não aliviou para o "Trump dos trópicos". Fez, a rigor, as perguntas que a imprensa independente brasileira vem se fazendo há meses. Desde a ligação com a execução de Marielle Franco até a ligação com as milícias, a repórter Shannon Bream quebrou o protocolo de inércia que a imprensa tradicional brasileira trava com a atual presidência. 

A reportagem do jornal O Globo destaca que "o presidente Jair Bolsonaro comentou aspectos variados de seu governo em entrevista à Fox News transmitida na madrugada desta terça-feira no Brasil, de acusações de possíveis vínculos com um dos acusados do assassinato da vereadora Marielle Franco (PSOL-RJ) ao vídeo de uma cena de escatologia que divulgou no Twitter após o carnaval, passando por Venezuela e imigração nos EUA."

Segundo a matéria, que destacou a exclusividade da entrevista feita pela jornalista Shannon Bream, "Bolsonaro destacou a sua admiração pelo ocupante da Casa Branca e apoiou as suas políticas restritivas para a imigração, incluindo a construção do polêmico muro na fronteira com o México, adotando a mesma retórica de demonização de imigrantes do republicano. Bolsonaro chegou a afirmar que a política imigratória de Trump se relaciona à manutenção da democracia no hemisfério Sul."

Ele disse: "a grande maioria dos imigrantes em potencial não tem boas intenções nem quer o melhor ou fazer bem ao povo americano — afirmou. — Eu gostaria muito que os EUA levassem adiante a atual política de imigração, porque em larga medida nós devemos a nossa democracia no Hemisfério Sul aos Estados Unidos."

Em meio às habituais declarações erráticas e sem nexo, Bolsonaro falou sobre a situação da imigração internacional: "acho justo dizer que os americanos que pensam [positivamente] sobre o socialismo devem olhar para a experiência da França, onde as fronteiras estão abertas para receber refugiados sem qualquer tipo de seleção ou de filtro — afirmou. — E ter fronteiras abertas em minha visão é uma visão absolutamente ruim. Não é uma decisão nada boa. Nós concordamos com a decisão de Trump sobre o muro."

O jornal O Globo relembra o que Bolsonaro esqueceu: "Bolsonaro ignorou o fato de que a França aprovou em agosto de 2018 uma nova lei de imigração e asilo sob a iniciativa do presidente Emmanuel Macron que endurece a obtenção de asilo no país. A nova legislação dificulta inclusive os recursos possíveis na Justiça, além de aumentar de 45 para até 90 dias o período de detenção de imigrantes ilegais."



Fonte: Brasil 247















Nenhum comentário:

Postar um comentário