quarta-feira, 13 de março de 2019

NEM R$ 1 BILHÃO CONVENCE DEPUTADOS A SE ANIMAREM PARA A VOTAÇÃO DA REFORMA

13 de março de 2019





A liberação de R$ 1 bilhão em emendas parlamentares feita pelo governo Bolsonaro para saciar a Câmara Federal e 'amaciá-la' para a reforma da Previdência não surtiu efeito; para os deputados da "base" do governo, a liberação não influencia a votação da reforma, pois foi proporcional e contemplou todo os partidos; "isso não influencia nossa bancada. Foi uma liberação de emenda impositiva até para o PCdoB", disse o líder do DEM, Elmar Nascimento (BA)


247 - A liberação de R$ 1 bilhão em emendas parlamentares feita pelo governo Bolsonaro para saciar a Câmara Federal e 'amaciá-la' para a reforma da Previdência não surtiu efeito. Para os deputados da "base" do governo, a liberação não influencia a votação da reforma, pois foi proporcional e contemplou todo os partidos. "Isso não influencia nossa bancada. Foi uma liberação de emenda impositiva até para o PCdoB", disse o líder do DEM, Elmar Nascimento (BA).

A reportagem do jornal Folha de S. Paulo destaca que "o Palácio do Planalto e interlocutores do presidente Jair Bolsonaro (PSL) no Congresso informaram as bancadas partidárias sobre o pagamento de aproximadamente R$ 1 bilhão em emendas parlamentares nos próximos dias, sendo R$ 711 milhões de emendas individuais de congressistas e R$ 319 milhões de emendas de bancadas estaduais."

O jornal obteve os dados sobre a partilha de verba: "a divisão dos recursos (...) mostra que MDB, PT, PP e PSDB, que eram as maiores bancadas nos mandatos de Dilma Rousseff e Michel Temer, estão no topo da lista. Partidos de oposição a Bolsonaro, como PCdoB e PSOL, também foram agraciados, o que incomodou líderes de partidos aliados."



Fonte: Brasil 247   por Folha de S. Paulo













Nenhum comentário:

Postar um comentário