quinta-feira, 6 de junho de 2019

PT: É CRIME DA LAVA JATO ESPIONAR EQUIPE DE ADVOGADOS DE LULA

6 de junho de 2019





O Partido dos Trabalhadores (PT) lançou uma nota rechaçando a interceptação telefônica e espionagem no escritório de advocacia dos representantes do ex-presidente Lula; a operação produziu relatórios que detalharam ao menos 14 horas de conversas entre os defensores do ex-presidente; na visão da sigla, "é criminosa e atenta contra as mais básicas conquistas da civilização a espionagem dos advogados do ex-presidente Lula"



247 - O Partido dos Trabalhadores (PT) lançou uma nota rechaçando a divulgação de interceptação telefônica e espionagem no escritório de advocacia de representantes do ex-presidente Lula. Segundo informações publicadas no jornal Folha de S.Paulo, a Lava Jato produziu relatórios que detalharam ao menos 14 horas de conversas entre os defensores do ex-presidente. Na visão do Partido dos Trabalhadores, "é criminosa e atenta contra as mais básicas conquistas da civilização a espionagem dos advogados do ex-presidente Lula". 

Leia a íntegra da nota: 

É criminosa e atenta contra as mais básicas conquistas da civilização a espionagem dos advogados do ex-presidente Lula, por parte do ex-juiz Sergio Moro, procuradores e policiais federais da Lava Jato.
Os gravíssimos fatos revelados hoje (06/06) pela Folha de S. Paulo mostram que as conversas telefônicas entre os advogados de Lula foram grampeadas ilegalmente e monitoradas em tempo real por aqueles que o acusaram e julgaram. Pelo menos 14 horas de conversas foram analisadas por agentes da PF, de acordo com o jornal.
O grampo autorizado por Moro violou frontalmente o Artigo 7º. do Estatuto da Advocacia, que garante a inviolabilidade da correspondência e das comunicações telefônicas de advogados no exercício da defesa.
A conduta do ex-juiz foi repreendida ainda em 2016 pelo ministro Teori Zavascki, ocasião em que Moro alegou ter cometido "um equívoco". Agindo com absoluta má-fé e desobedecendo decisão do Supremo, Moro deixou de destruir as gravações conforme determinado. E sabe-se agora que serviram a uma condenação ilegal e injusta.
A utilização de informações obtidas ilegalmente sobre a estratégia da defesa deve produzir, na vigência dos estado de direito democrático, a anulação do processo contra Lula, que está preso sem ter cometido nenhum crime.
As ações criminosas do ex-juiz, dos procuradores e policiais da Lava Jato deveriam ter sido objeto de sanções disciplinares e penais. Estes agentes do Estado, no entanto, foram premiados com altos cargos do serviço público, o que demonstra a utilização política e eleitoral da Lava Jato.
Os graves fatos revelados hoje somam-se à lista de arbitrariedades e violações cometidas por Moro e pela Lava Jato, a pretexto de combater a corrupção: conduções coercitivas contrárias à lei, prisões sem fundamento, benefício a criminosos com objetivos políticos, o grampo da então presidenta da República e tantas outras aberrações.
O Brasil e o mundo já sabem o suficiente para exigir a anulação do processo contra Lula e o julgamento dos crimes cometidos contra sua liberdade. A História ainda vai revelar muito mais sobre esse vergonhoso capítulo que vivemos.
Lula Livre!


Fonte:  Brasil 247   por Folha de S, Paulo













Nenhum comentário:

Postar um comentário