29 agosto 2018

CONSELHO NACIONAL DOS DIREITOS HUMANOS: BRASIL DEVE CUMPRIR DECISÃO DA ONU SOBRE LULA

29 de agosto de 2018





O Conselho Nacional dos Direitos Humanos (CNDH) divulgou, nesta quarta-feira (29), uma nota pública aprovada em que reconhece a legitimidade da resolução do Comitê de Direitos Humanos da ONU sobre os direitos políticos do ex-presidente Lula como candidato; “O CNDH entende que as medidas interinas adotadas pelo Comitê devem ser cumpridas pelo Estado brasileiro, independentemente de seu caráter vinculante”, diz trecho da nota; o Conselho é ligado à Secretaria Especial de Direitos Humanos do Ministério dos Direitos Humanos


247 - O Conselho Nacional dos Direitos Humanos (CNDH) divulgou, nesta quarta-feira (29), uma nota pública aprovada em que reconhece a legitimidade da resolução do Comitê de Direitos Humanos da ONU sobre os direitos políticos do ex-presidente Lula como candidato à Presidência da República.

O conselho é ligado ao Ministério dos Direitos Humanos e tem representantes, além dos da sociedade, do Ministério Público Federal, Conselho Nacional de Justiça (CNJ); órgãos do Poder Executivo (Ministério dos Direitos Humanos, Ministério das Relações Exteriores, Ministério da Justiça e Polícia Federal); e do Poder Legislativo (Câmara dos Deputados e Senado Federal).
Em trecho da nota, o CNDH diz que a decisão do Comitê de Direitos Humanos da ONU é legítima e reafirma o respeito às suas deliberações. Segundo a nota, o Comitê é um órgão de monitoramento do Pacto Internacional de Direitos Civis e Políticos, a quem cabe conferir e interpretar o tratado internacional.
Eles encerram a nota afirmando que acreditam na boa-fé do Estado Brasileiro no cumprimento das obrigações internacionais. “O CNDH entende, assim, que as medidas interinas adotadas pelo Comitê devem ser cumpridas pelo Estado brasileiro, independentemente de seu caráter vinculante, como expressão de sua boa-fé no cumprimento de obrigações internacionalmente assumidas quanto à implementação de direitos humanos no país”.
No dia 17 de agosto, O Comitê de Direitos Humanos da ONU determinou ao Estado Brasileiro que tome todas as medidas necessárias para permitir que Lula seja candidato nas eleições presidenciais de 2018, “incluindo acesso apropriado à imprensa e a membros de seu partido politico”.
Confira aqui a íntegra da nota.

Abaixo, um texto que detalha a composição do Conselho, publicado no site do CNDH:

Com a nova Lei, o CNDH tornou-se mais democrático e ampliou a participação social, com 11 representantes da sociedade civil e 11 do poder público. A representação da sociedade civil é definida em assembleia das próprias entidades. O processo eleitoral se dá por meio da publicação de edital de convocação e realização de encontro nacional, onde são eleitas organizações de abrangência nacional e relevante atuação na defesa dos direitos humanos.
São eleitas nove organizações titulares, para o mandato de dois anos, e duas têm assento permanente: Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) e Conselho Nacional dos Procuradores-Gerais do Ministério Público dos estados e da União (CNPG). As representações buscam assegurar a representatividade de raça e etnia, de gênero e geracional.
A representação do poder público contempla instituições que atuam diretamente com direitos humanos, sendo duas delas instituições autônomas (Defensoria Pública da União e Ministério Público Federal); além do Conselho Nacional de Justiça (CNJ); órgãos do Poder Executivo (Ministério dos Direitos Humanos, Ministério das Relações Exteriores, Ministério da Justiça e Polícia Federal); e do Poder Legislativo (Câmara dos Deputados e Senado Federal).


Fonte: Brasil 247











28 agosto 2018

PESQUISA IBOPE POR ESTADOS: LULA VENCE EM 17 ESTADOS E SÓ PERDE EM 2; NOS OUTROS HÁ EMPATE

28 de agosto de 2018






As evidências de uma avalanche de Lula nas eleições são cada dia maiores. O cruzamento dos dados das pesquisas do Ibope para as eleições presidenciais realizadas entre 13 e 24 de agosto mostram um cenário de vitória para Lula em 17 estados, empate em seis e derrota apenas em 2 e no Distrito Federal. Minas Gerais não teve números divulgados.


Lula vence em todos os nove estados do Nordeste: AL, BA, CE, MA, PB, PE, PI, RN e SE. Vence também
em AP, AM, MT, MS, PA, RJ, RS e TO.

Empata com Bolsonaro PR, SP, GO, SC, RO, ES. Dos seis, ele tem vantagem estatística em cinco. Apesar de na margem de erro, Lula tem indicação de vitória expressiva em São Paulo, por exemplo, 26% a 21%. Bolsonaro tem vantagem numérica apenas entre os catarinenses.
Bolsonaro está na frente em AC, RR e no Distrito Federal.

Lula tem as maiores pontuações no Nordeste, todos acima de 50%: Piauí (65%), Maranhão (63%), Pernambuco (62%), Paraíba (57%), Ceará (56%), Sergipe (56%), Bahia (55%), Alagoas (53%) e Rio Grande do Norte (53%). E em Roraima, onde Bolsonaro tem o maior índice, ele alcança 38% das intenções.

O estado em que Marina Silva atinge o valor mais alto é no Amapá (17%), enquanto Ciro Gomes alcança seu máximo no Ceará (15%), Geraldo Alckmin em São Paulo (12%) e Alvaro Dias no Paraná (22%).

Plantão Brasil é um site independente. Se você quer ajudar na luta contra o golpismo e por um Brasil melhor, compartilhe com seus amigos e/ou em grupos de Facebook e WhatsApp. Quanto mais gente tiver acesso às informações, menos poder terá a manipulação da mídia golpista.


Fonte: Brasil 247
















27 agosto 2018

O GOLPE E O POVO: TEMER, AÉCIO E ALCKMIN NA LAMA E LULA CONSAGRADO

27 de agosto de 2018



O histórico das pesquisas Datafolha de junho de 2015 a agosto de 2018 é a mais acabada demonstração da derrota cabal do golpe em meio ao povo brasileiro; leia a partir de hoje uma série de análises sobre as pesquisas feitas por Thaís Moya e Mauro Lopes, do 247; nesta, estão cruzadas as curvas de intenção de voto/popularidade de Lula com a de três dos principais protagonistas do golpe de 2015/16: Michel Temer, Aécio Neves e Geraldo Alckmin; o resultado é definitivo


Por Thais Moya e Mauro Lopes- O histórico das pesquisas Datafolha de junho de 2015 a agosto de 2018 é a mais acabada demonstração da derrota cabal do golpe em meio ao povo brasileiro. Cruzamos as curvas de intenção de voto/popularidade de Lula com a de três dos principais protagonistas do golpe de 2015/16: Michel Temer, Aécio Neves e Geraldo Alckmin (este com um protagonismo menor no momento da derrubada de Dilma mas que é relevante como herdeiro e candidato do golpe).


Aécio - É possível observar que a morte política de Aécio foi uma queda brutal de uma liderança isolada, com 35% da intenção dos votos presidenciais, em junho de 2015, para o lugar de nanico, que fugiu da disputa com Dilma ao Senado, e vai tentar timidamente uma vaga na Câmara Federal. Aécio dizimou seu patrimônio de 51 milhões de votos no segundo turno das eleições de 2014 ao aventurar-se como líder do rompimento com as regras elementares do jogo democrático. Seu lugar na pesquisa de junho de 2015 indica que ele poderia ser o líder da oposição do governo Dilma, se respeitasse o resultado das eleições. Mas preferiu o golpe. Como afirmou Lula, com sua genialidade cômica, o político mineiro inventou o “escondinho tucano”. Sua decadência começou ainda no período manifestações pró-impeachment, nas quais foi rechaçado pelos manifestantes que ele mesmo produziu, por meio do ódio ao PT e, consequentemente, da política. Literalmente, o feitiço virou contra o feiticeiro. Seu final dramático foi o escândalo do vídeo de seu primo buscando propinas da JBS e, pior, o áudio em que ele diz a Joesley, dono da empresa, que mandaria o primo, pois tinha que ser “alguém que a gente possa matar antes de delatar”, e a convicção popular de sua responsabilidade como líder do golpe. Um assombro que enterrou a vida política do tucano.

Alckmin - o ex-governador de São Paulo, sejamos sinceras, nunca foi uma “Brastemp” em nível nacional, mas surfou na onda anti-petista do período pré-impeachment, alcançando, em novembro de 2015, 20% das intenção de votos presidenciais. Porém, o ódio criado pelos golpistas também voltou-se contra ele, que começou a ser tratado com hostilidade pela classe média conservadora, que costumava ser seu eleitorado mais fiel. Além disso, o político paulista não resistiu a dois escândalos e à identificação com o governo Temer: a máfia da merenda e o vazamento das planilhas de propinas da Odebrecth, nas quais foi apelidado de “Santo”, devido à sua estreita relação com a Opus Dei. O apelido grudou e não saiu mais, substituindo o também famoso “picolé de chuchu”. O fato é que o período entre novembro de 2015 a abril de 2017 o tucano viu sua intenção de votos despencar 19 pontos percentuais, o que significa algo em torno de 29 milhões de eleitores. Outro fenômeno curioso a respeito de Alckmin é que, ao contrário do que tem sido afirmado, seus eleitores não migraram em massa apenas para Bolsonaro, o que explicaremos isso em uma coluna específica dessa série.

Temer - Aquele que traiu agora amarga a maior rejeição da nossa recente história política. Michel Temer, que viu sua aprovação cair dez pontos percentuais, em dois anos; hoje, tem menos de 5% de aprovação. As pesquisas sobre ele começam apenas depois de usurpar a Presidência, interinamente, em maio de 2016. A primeira pesquisa de julho, já o capturava numa posição constrangedora, com menos de 15% de aprovação. Para além da sua falta de carisma, o seu governo é impopular tanto pelas reformas que têm vitimado os mais pobres e os direitos trabalhistas e sociais quanto pelos inúmeros casos de corrupção, que derrubaram vários de seus ministros, e quase provocaram sua queda, quando o áudio dele com Joesley, gravado no porão do Jaburu, foi divulgado. Nada aconteceu, porque ele tem o Congresso na mão. Porém, sua imagem está na lama e ele dificilmente deixará o Palácio do Planalto pela porta da frente.


Lula - A consagração de Lula pode ser explicada por duas variáveis principais. A primeira, de caráter constante, é o péssimo governo golpista e a saudade cada vez maior que a população, especialmente os mais pobres, tem "dos tempos de Lula". A segunda é a atuação inescrupulosa e estabanada da Lava Jato, tanto de Moro, como do MPF, na pessoa de Dallagnol. Quanto mais o povo entendeu que a ação da Lava Jato, do Judiciário, do governo Temer, da Globo e das mídias conservadoras contra Lula configuravam uma injustiça, mais expressou seu apoio e adesão a ele.

Perceba no gráfico que o ponto de inflexão da queda de Lula aconteceu depois da sua condução coercitiva, fato que redundou em comoção popular em todo país. A coerção foi no dia 4 de março de 2016; no dia 18, 100 mil pessoas lotaram a Av. Paulista em apoio ao ex-presidente e contra o golpe. Desse ponto em diante o “jacaré” escancarou os dentes: Lula cresceu dezenove pontos percentuais em um ano e meio, enquanto o candidato tucano estacionava na sua margem constante entre 6 e 8 pontos.
É inegável que o show de horrores promovido pela Câmara e Senado durante o processo de impeachment começou a tirar uma parcela da população do transe antipetista, principalmente, porque quanto mais o tempo passou, mais evidente ficou a perseguição contra Dilma, Lula e o PT, enquanto políticos golpistas passaram ilesos aos escândalos cada vez mais explícitos. Um dos auges da perseguição anti-Lula foi a apresentação da denúncia do MPF contra Lula, que ficou estigmatizada pelo tom ridículo e amador do "powerpoint do Dallagnol", no qual Lula era o centro e mentor de quase todos os males do mundo.
Em novembro de 2017, Lula chegou a pontuar 36%. Depois das condenações de Moro e do TRF-4, começou a cair, mesmo durante as caravanas no Nordeste, Sul e Minas Gerais. Parecia que o golpe começava, então, alcançar seu objetivo, em junho de 2018, já há três meses preso, o petista havia perdido 6% do seu eleitorado, algo em torno de dez milhões de votos; porém, no dia 8 de julho, o jogo virou. Naquele domingo sofrível, a população brasileira acompanhou, ao vivo, a Lava-Jato, o governo Temer e mídia tradicional rasgarem a Lei para impedir que Lula fosse solto por meio da liminar expedida pelo juiz Favretto. Foi o dia em que o ultimo véu que disfarçava o golpe foi rasgado, ao mesmo tempo em que a deterioração das condições de vida dos trabalhadores e a ruína da economia se acentuaram.
Desde então, cada vez mais, a população tem acolhido Lula, que tem sido celebrado, ao som de trompetes, por meio de “lulaços” em todo país; outra festa, que figurou como um ritual de consagração do ex-presidente, foi o Festival Lula Livre, que contou com personalidades honradas e respeitadas. Não dá mais para negar. Lula – o sertanejo, pernambucano, metalúrgico, retirante, sindicalista que se tornou o melhor presidente do Brasil - alça vôo, literalmente, como uma fênix, deixando seus adversários moribundos nas brasas e cinzas que usaram para liquidá-lo.
O golpe foi vitorioso mas, paradoxalmente, liquidou seus líderes; Lula, Dilma e o PT foram derrotados em 2015/16 mas estão consagrados e têm apoio popular que lembra os momentos mais culminantes dos governos do metalúrgico.

Fonte: Brasil 247  por Thais Moya e Mauro Lopes













26 agosto 2018

FACHIN: AUTORIDADE QUE NÃO OBEDECER TRATADOS SERÁ PROCESSADA

26 de agosto de 2018




Em palestra na Escola de Magistratura do Paraná, há dois meses, em 7 de junho, o Ministro Fachin defendeu, por meio de longa argumentação, que os tratados internacionais referente aos direitos humanos, ratificados pelo Estado, devem ter o status ainda mais elevado do que possui atualmente, ou seja, devem ser considerados constitucionais. Importante: ele falou isso apenas 40 dias antes da liminar da ONU concedida a Lula com base no Pacto de Direitos Civis e Políticos, mencionado explicitamente por ele na palestra. Mais ainda: ele garantiu que os membros do Poder Judiciário que não atenderem determinações dos Tratados devem ser processados e responsabilizados civilmente. Assista o vídeo ao final.

Fachin falou explicitamente sobre e a obrigação de as autoridades cumprirem os Tratados. Afirmou que a omissão do Judiciário em relação ao cumprimento dos tratados mencionados pode gerar responsabilidade do Estado, que corresponde à obrigação de reparar danos causados a terceiros em decorrência de comportamentos comissivos ou omissivos, materiais ou jurídicos, lícitos ou ilícitos, imputáveis aos agentes públicos; como a Constituição determina. Leia abaixo e assista ao vídeo:

As pessoas jurídicas de direito público e as de direito privado prestadoras de serviços públicos responderão pelos danos que seus agentes, nessa qualidade, causarem a terceiros, assegurado o direito de regresso contra o responsável nos casos de dolo ou culpa. (37, § 6º, da Constituição Federal)
Fachin compõe um grupo consolidado do Judiciário, liderado por Celso Melo, acompanhado, ao menos, por Rosa Weber, Raquel Dodge, Barroso, que entende que o caráter supralegal dos referidos tratados está aquém do que o ordenamento jurídico brasileiro garante, pois devem ocupar o status constitucional.
No que tange ao cumprimento dos tratados, o ministro Fachin foi cristalino:
(...) em nossa Constituição, no parágrafo segundo, do artigo quinto, dito está, e com todas as letras "que entrega a ordem normativa brasileira os pactos e tratados internacionais aos quais o Brasil se comprometeu" [...] Portanto, quando um magistrado cita, como tenho me valido, os denominados protocolos, a Carta da Convenção Interamericana de Direitos Humanos, O Pacto de Direitos Civis e Políticos, nós não estamos a fazer um cimento retórico argumentativo, nós estamos a fundamentar na ordem normativa constitucional interna, e, ao mesmo tempo, chamar a colação essas normativas internacionais, que, à luz da transterritorialidade, que é uma característica da ordem normativa contemporânea, restaram introduzidas no Brasil e as quais o Brasil se comprometeu a cumprir e evidentemente assim deve fazê-lo.
Está cada vez mais complicado para o STF ignorar a liminar da ONU concedida a Lula. A cada dia que passa a negativa em acolher a liminar causa mais danos não apenas a Lula, mas também ao povo que está sendo privado de sua presença em campanha eleitoral.

Fonte: Brasil 247   por THAÍS S. MOYA
Thaís S. Moya é socióloga, pós-doctorado em Ciências Sociais (Unicamp)










25 agosto 2018

TARSO MANDA RECADO PARA BARROSO: NÃO SE 'REFUNDA' UM PAÍS COM POVO EXCLUÍDO E INFELIZ

25 de agosto de 2018






Ex-governador do Rio Grande do Sul afirmou que a "refundação pela via da direita liberal-rentista", porque esta forma de governar "foi pra tragédia e vai acabar em violência, saques, mortes, repressão"; Tarso tuitou, após o ministro Luís Roberto Barroso, relator da candidatura de Lula no TSE, afirmar que o Brasil passa por uma "refundação"

Rio Grande do Sul 247 - O ex-governador do Rio Grande do Sul Tarso Genro criticou a receita neoliberal do governo Michel Temer e a "mídia oligopólica", após o ministro Luis Roberto Barroso, relator da candidatura de Lula no Tribunal Superior Eleitoral, afirmar que o Brasil passa por uma "refundação". 
"A refundação pela via da direita liberal-rentista, como a Argentina, que a mídia oligopólica deixou de falar, porque foi pra tragédia e vai acabar em violência, saques, mortes, repressão. Não precisa esperar muito. Não se constrói nem se 'refunda' com povo excluído e infeliz", disse ele no Twitter.
Barroso disse achar que o País vive "um momento de refundação". "Um país que se encontrou consigo próprio e está tentando mudar o seu destino", afirmou Barroso, durante palestra em evento da Associação Nacional dos Delegados da Polícia Federal (ADPF), em Salvador.
O ministro Barroso já defendeu que os tratados internacionais assinados pelo Brasil tem efeito supralegale e afirmou que é "Estado do compadrio" o País que muda sua jurisprudência de acordo com o réu. "Não há razão para mudar jurisprudência. Um país que vai mudando sua jurisprudência em função do réu não é um Estado democrático de direito, mas um Estado de compadrio", disse.

Fonte: Brasil 247










24 agosto 2018

CONTRA PROFETAS DE ALUGUEL, PT CRESCE E IRÁ AJUDAR LULA-HADDAD

24 de agosto de 2018





Uma década e meia depois de ter sido classificado como "organização criminosa" pelo PGR Antonio Carlos Fernando e por Joaquim Barbosa, as principais estrelas da AP 470, o Mensalão, o Partido dos Trabalhadores entra na reta final da campanha presidencial de 2018 na condição de principal partido político brasileiro e uma das alavancas da campanha de Lula-Haddad.

Comparado com as três dezenas de legendas oficialmente registradas no país, o PT confirma a condição de um partido único no sistema político brasileiro. Possui um índice de aprovação superior à soma das preferências conseguidas por adversários, e aliados -- em conjunto. Sua aprovação é sete vezes maior que a do PMDB e do PSDB, que têm 4%. E é doze vezes maior do que aquele pequeno núcleo de legendas que consegue colocar a cabeça fora d’água para ficar com 1% (um por cento).
Comparando com sua própria história: num fase da existência em que a maioria dos partidos -- em especial brasileiros -- entrou em decadência e até sumiu de vista, o PT encontra-se num grande momento após quinze anos de massacre contínuo e planejado por parte de adversários instalados em postos estratégicos no aparelho de Estado e mesmo fora do país. Sua aprovação de 29% do eleitorado, registrada pelo Data Folha, é superior às marcas de 2002, quando Lula chegou ao Planalto. Na época, os índices do partido variavam entre 25% e 26%. Em 2010, quando Lula comandou a primeira eleição de Dilma, o partido chegou a ter uma aprovação de 30%. Com Dilma na fase inicial, chegou a 31%.
É preciso retornar aos primeiros anos para encontrar uma aprovação tão alta -- 33% -- numa parcela essencial da sociedade: a juventude, camada que, em qualquer parte do mundo, é apontada como uma irredutível força de resistência contra todo e qualquer partido político.  Vê-se que, no Brasil, a moda não pegou -- ao menos até aqui.  
É bom não se enganar. Num país onde a política se faz em torno de personalidades mais ou menos carismáticas, mais ou menos competentes, o PT não escapa ao mesmo destino.
Lula é o personagem central de uma história que já incluiu quatro vitórias consecutivas em sucessões presidenciais -- algo raro em qualquer lugar do mundo.  Alvo número 1 da Lava Jato, já completou o quarto meses de prisão. Sem autorização para sair da cela, lidera a campanha presidencial com folga. Mesmo na adversidade infame da semi-ditadura instituída no país após o golpe que derrubou Dilma, o sucessor designado Fernando Haddad já desponta como um concorrente com lugar certo no segundo turno.
Caso a mudança de candidatos se confirme, a relação com o partido terá outra natureza, porém. Não há hipótese de vitória presidencial possível, para Haddad, sem uma mobilização a fundo do PT a seu favor. Lula seguirá com um papel essencial na campanha, em qualquer caso. Mas o papel específico do PT, como elo de ligação entre ambos, ganha nova importância, como âncora.
Os militantes do PT é que vão explicar as diferenças e semelhanças entre Lula e Haddad, e argumentar porque se trata de um sucessor a altura. Também terão um papel essencial, para explicar a legitimidade do novo candidato, o caráter inevitável da substituição -- uma novidade particularmente intrigante numa população que mal consegue distinguir outro rosto no mundo político.
A campanha na TV faz até milagres, sabemos todos. Mas a voz militante, o bate papo no ponto de ônibus e a conversa no boteco seguem uma atividade fundamental num país sob impacto gigantesco do pensamento único da mídia -- uma correnteza que pode se movimentar para todos os lados, para nunca perdeu o foco anti-Lula e anti-PT.     
A aprovação mostra que o desafio é grande mas o partido pode se mostrar à altura da tarefa. A história, em primeiro lugar, trabalha a seu favor. Apesar de erros e desvios que, apenas em seu caso, foram transformados em escândalo, o apoio de 29% contém uma lição fundamental. Para uma imensa parcela de brasileiros, a contabilidade geral é boa para o PT, ao contrário do que ocorre com as legendas adversárias, cuja plateia pode ser descrita como uma legião de decepcionados, o que ajuda a entender a à ascensão de Jair Bolsonaro, à margem de partidos tradicionais. Em três décadas, a aprovação do PSDB, que ocupou a presidência duas vezes, tem oscilado entre 7% e 3%. O DEM, sucessor do partido do senador de Santa Catarina Jorge Bornhausen que anunciou o fim "desta raça" por 30 anos não passa de 0% desde 2014.
De 2010 para cá, o PMDB fica 7%.

Até em nome do respeito pela consciência e capacidade de discernimento dos brasileiros, cabe reconhecer que a causa da vantagem do PT é política.
Num dos países mais desiguais do planeta, o PT teve o acerto de reconhecer combate à miséria e à desigualdade a questão fundamental do partido, num empenho que, nos primórdios do Bolsa-Família, gerou conflitos com aliados intelectualizados que condenavam a medida como "populismo" e "assistencialismo".  A defesa dos salários e da criação de empregos sempre esteve na agenda, o que é compreensível pela origem. A defesa vigorosa da soberania nacional e dos programas de desenvolvimento é fruto do aprendizado e amadurecimento, num país no qual a integração ao imperialismo incluiu não apenas parcelas inteiras do empresariado, mas da intelectualidade e até quadros com história em partidos de esquerda.
Nesta situação, quando os brasileiros encontraram na eleição presidencial de 2018 o caminho para resistir à guerra sem limites contra direitos e conquistas, o PT era o partido que estava lá.
Alguma dúvida?

Fonte: Brasil 247   por Paulo Moreira Leite













ELEIÇÃO PARA A DIREÇÃO DA AABB/CAXIAS É NESTE DOMINGO (26/08/2018) PARA O TRIÊNIO 2018 A 2021


As Realizações Desta Direção:













Propostas da Chapa 1:



















23 agosto 2018

URGENTE! LÍDER INTERNACIONAL SOLICITA QUE ONU VÁ AO BRASIL PARA AVERIGUAR CASO DE LULA

24 de agosto de 2018





O ex-presidente da Colômbia Ernesto Samper visitou nesta quinta-feira, 23, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva na sede da Polícia Federal em Curitiba.
Em coletiva após a visita, o líder latino-americano denunciou a prisão política de Lula e lembrou a determinação do Conselho de Direitos Humanos da ONU, que exige que o Estado brasileiro garanta a Lula o direito de ser candidato.

“Lula não está só. Não nos esquecemos de sua luta contra a fome. A ONU já se pronunciou por sua candidatura”, disse Samper. “Peço que a ONU envie uma comissão para verificar o cumprimento da liminar concedida a Lula. Ele está sendo perseguido judicialmente. É um preso político e deve ser liberado para voltar a lutar pela democracia e pela inclusão social”, acrescentou.
O ex-secretário-geral da Unasul (União das Nações Sul-americanas) leu uma declaração em que afirma que a comunidade internacional está com Lula. Samper ainda alertou: “se impedirem Lula de ser candidato, se criará uma situação de dano irreparável”.
Confira abaixo a íntegra da declaração do ex-presidente:
“Vim visitar o ex-presidente Lula em seu local de confinamento em Curitiba como um ato de solidariedade pessoal e política. Eu o encontrei, como sempre, sereno, entusiasta e positivo. Carregado com ideias e projetos futuros. Ele não está sozinho.
A comunidade internacional acompanha-o como o arquiteto da política que tornou o Brasil um ator global, lembra dele com carinho na América do Sul, onde eles lançaram seus programas de combate à fome e à pobreza que atraiu mais de 200 milhões de sul-americanos de pobreza. Essa comunidade tem falado esta semana, através do Comitê de Direitos Humanos das Nações Unidas, a alegação de que o direito é respeitado a um julgamento justo e de ser eleito nas próximas eleições presidenciais.
Peço ao Estado brasileiro, respeitoso como tem sido durante os anos de governo em uma democracia, os compromissos internacionais que fazem parte da ordem constitucional global, iremos fornecer o presidente com todas as garantias a que têm direito de competir em pé de igualdade com rivais nas próximas eleições presidenciais. Além disso, considero de grande importância que a Comissão a enviar observadores para verificar a conformidade com o seu mandato e rever a adequação do julgamento que segue Lula. Em particular, a aplicação das regras universais do devido processo e a presunção de inocência, o direito à privacidade de defesa e auto teste controvérsia.
Aqueles que foram submetidos ao presidente Lula uma implacável quase desumano, judicial e mídia assédio, deve ser avisado de que o seu comportamento, estão endossando a cada dia maior convicção internacional de que Lula é um prisioneiro político e como tal deve ser liberado para que ele possa continuar a trabalhar para democrática, inclusiva e reconciliados para manter o sonho da prisão Brasil.”

Fonte: CLICK POLÍTICA com informações de brasil247














22 agosto 2018

JOÃO LUÍS JÚNIOR, PEDIU DIREITO DE RESPOSTA SOBRE A MATÉRIA DE ONTEM

22 de agosto de 2018





O Senhor João Luís Júnior, entrou em contato comigo ontem para falar e pedir direito de resposta sobre a matéria publicada ontem “O Lobo em Pele de Cordeiro, Mas Protegido Pela Família Gentil”, conversamos via aplicativo whatsapp, onde ele nega as acusações que lhe atribuíram e acusou uma pessoa que não tem nada haver com o assunto, Paulo Carneiro, vejam a seguir nossa conversa: 



[23:22, 21/8/2018] +55 99 8821-6770: Boa noite seu José

[23:23, 21/8/2018] +55 99 8821-6770: Me chamo João Luís sobre a reportagem que você fez

[23:23, 21/8/2018] +55 99 8821-6770: Até agora Você só viu um lado dessa reportagem sem saber se tudo isso é verdade eu lhe convido para a gente poder conversar e eu lhe esclarecer os fatos com provas

[23:23, 21/8/2018] +55 99 8821-6770: Uma coisa é uma pessoa falar sem provas e outra coisa e a gente explicar mas mostrando as provas de que tudo isso é mentira

[23:25, 21/8/2018] ARIMATÉIA ROCHA: ENTÃO, FALE SUA VERDADE QUE AMANHÃ POSTAREI SEU DIREITO DE RESPOSTA.

[23:25, 21/8/2018] +55 99 8821-6770: Certo

[23:25, 21/8/2018] +55 99 8821-6770: Pois vou lhe mostrar como tudo isso é mentira está disposto a que horas

[23:25, 21/8/2018] +55 99 8821-6770: O senhor vai ver quem é o lobo da história

[23:26, 21/8/2018] +55 99 8821-6770: E outra nem eu sabia que foi promovido para assumir o Travessia kkkk

[23:26, 21/8/2018] +55 99 8821-6770: Aonde é que tá meu nome provando isto Chegou algum documento algum papel provando isso

[23:26, 21/8/2018] +55 99 8821-6770: Pois até então nem eu sabia

[23:27, 21/8/2018] +55 99 8821-6770: Talvez a pessoa que falou Essas mentiras está mais preocupado em assumir isso falando mentiras do que eu que não me importo

[23:28, 21/8/2018] ARIMATÉIA ROCHA: FORAM DUAS PESSOAS DISTINTAS QUE REPASSARAM PRA MIM, UMA NA QUINTA-FEIRA PASSADA E A OUTRA ONTEM.

[23:29, 21/8/2018] +55 99 8821-6770: Pois eu lhe digo com toda certeza que tudo isso é mentira e são pessoas interessadas a preço de qualquer coisa estão preocupado achando que eu vou assumir uma coisa que nem eu sabia

[23:29, 21/8/2018] +55 99 8821-6770: Aonde é que tá meu nome disso calúnia e difamação também é crime

[23:29, 21/8/2018] +55 99 8821-6770: A gente só faz as coisas com provas tendo convicções concretas de que isso é verdade

[23:29, 21/8/2018] +55 99 8821-6770: Quem é o político aqui é o Paulo Carneiro que tá preocupado com isso tudo

[23:30, 21/8/2018] +55 99 8821-6770: Eu sou um cidadão trabalhador ganho pouco e sou feliz com isso mas jamais vou passar a perna nos outros Isso é pessoas que se preocupe com seus interesses pessoais

[23:31, 21/8/2018] ARIMATÉIA ROCHA: AS PESSOAS QUE PASSARAM AS INFORMAÇÕES SÃO DE CONFIANÇA.

[23:31, 21/8/2018] +55 99 8821-6770: O senhor colocou na matéria que eu chamei Paulo Carneiro para fazer parte da pastoral se nem de igreja ele gosta nunca chamei ele

[23:31, 21/8/2018] +55 99 8821-6770: Isso tudo é mentira todo mundo sabe que ele não gosta de igreja

[23:32, 21/8/2018] ARIMATÉIA ROCHA: NÃO HÁ ISTO NA MATÉRIA.

[23:32, 21/8/2018] +55 99 8821-6770: É vergonhoso uma atitude dessa que interesse eu tenho nisso tudo o político aqui não sou eu

[23:33, 21/8/2018] +55 99 8821-6770: Pois amanhã vamos sentar e vamos conversar eu vou lhe mostrar comprova diferente de quem chega para o senhor e inventa qualquer coisa pelo menos eu tenho provas

[23:34, 21/8/2018] +55 99 8821-6770: Espero que o Senhor tira meu nome de circulação não quero fazer parte de uma palhaçada dessa

[23:39, 21/8/2018] ARIMATÉIA ROCHA: FAÇA O SEGUINTE: PONHA AS SUAS INFORMAÇÕES E CONSIDERAÇÕES QUE EU PUBLICO AMANHÃ COMO DIREITO DE RESPOSTA COMO DISSE ANTES.

[23:39, 21/8/2018] +55 99 8821-6770: Mas primeiro eu vou lhe mostrar com provas se conversar explicando

[23:39, 21/8/2018] +55 99 8821-6770: É muito fácil uma pessoa qualquer chegar fazendo acusações e a pessoa acredita logo de vista não sabe nem se quer ser uma perseguição pessoal desta pessoa

[23:40, 21/8/2018] +55 99 8821-6770: Todos nós temos Perseguidores

[23:40, 21/8/2018] +55 99 8821-6770: É fácil uma pessoa chegar lhe defamando fazendo acusações o difícil é provar tudo isso que fala

[23:41, 21/8/2018] +55 99 8821-6770: Falando que eu saí da escola Raimundo Nunes fazendo confusão pelo contrário Seu José de Arimatéia eu denuncio os casos de exclusão que acontece dentro de certas escola por onde eu passei e é por isso que eu sou afastado

[23:41, 21/8/2018] +55 99 8821-6770: Certas pessoas que estão no poder acha que pode tá pisando nos outros

[23:41, 21/8/2018] +55 99 8821-6770: Quem de fato me conhece sabe que eu não sou de confusão Eu sou uma pessoa íntegra eu luto pelo uma causa boa social mas infelizmente a gente se depara com os interessados em tirar proveitos próprios politicamente

[23:43, 21/8/2018] +55 99 8821-6770: Quem me chamou para ir a São Luís para audiência do travessia foi o próprio Paulo Carneiro ele próprio levou documentos da associação e eu levei um documento da diocese pedindo o projeto para que seja aprovado na cidade mas a resposta veio para a diocese aonde o Paulo Carneiro ficou com raiva sendo que cada um de nós dois levamos documentos E deixamos lá

[23:43, 21/8/2018] +55 99 8821-6770: Eu nunca fui convidado para assumir tal função de coordenador do Travessia essa preocupação vem dele que tem esse interesse pessoal

[23:43, 21/8/2018] +55 99 8821-6770: Para mais tarde fazer política

[23:44, 21/8/2018] +55 99 8821-6770: Eu não tenho interesse em nada disso eu quero que o projeto Venha porque a Pastoral também trabalha com pessoas com deficiência a gente faz visita e sabe a dificuldade da locomoção dessas pessoas

[07:03, 22/8/2018] ARIMATÉIA ROCHA: BOM DIA JOÃO LUÍS JÚNIOR!   VOCÊ DEVE ME ENVIAR SUAS PROVAS E CONSIDERAÇÕES SOBRE A MATÉRIA DE ONTEM PARA EU POSTAR COMO DIREITO DE RESPOSTA.   TAMBÉM VOCÊ ME INFORMAR: SE É CONTRATADO OU EFETIVO NO SERVIÇO PÚBLICO?   SE CONTRATADO, QUEM LHE DEU O CONTRATO?  POR QUE SAIU DA ESCOLA RAIMUNDO NUNES? ONDE VOCÊ ESTÁ TRABALHANDO NO MOMENTO?  EM QUAL SECRETARIA?

[07:04, 22/8/2018] ARIMATÉIA ROCHA: QUAL SUA FUNÇÃO NO MOMENTO?

[07:50, 22/8/2018] ARIMATÉIA ROCHA: POR QUAL SECRETARIA VOCÊ ESTÁ RECEBENDO?

[07:51, 22/8/2018] ARIMATÉIA ROCHA: ONDE FICA LOCALIZADO ESSA ASSISTÊNCIA SOCIAL DE PESSOAS COM DEFICIÊNCIAS?

[07:52, 22/8/2018] +55 99 8821-6770: A sala da Cidadania funciona no salão paroquial da igreja de São Benedito

[07:53, 22/8/2018] +55 99 8821-6770: Os atendimentos são feitos lá é um projeto social

[07:54, 22/8/2018] +55 99 8821-6770: Agora eu sou coloca a minha parte a minha versão

[07:54, 22/8/2018] +55 99 8821-6770: O senhor Publique isso

[07:54, 22/8/2018] ARIMATÉIA ROCHA: OK. POR QUAL SECRETARIA VOCÊ ESTÁ RECEBENDO SEU SALÁRIO?

[13:04, 22/8/2018] ARIMATÉIA ROCHA: JOÃO LUÍS JÚNIOR ESTÁ FALTANDO VOCÊ RESPONDER QUEM LHE COLOCOU NA SECRETARIA DE EDUCAÇÃO E QUEM COLABOROU PARA VOCÊ IR PARA OUTRA SECRETARIA E DE QUAL SECRETARIA VOCÊ RECEBE SEU SALÁRIO? SEM ESSAS RESPOSTAS NÃO TEM COMO PUBLICAR.

[13:06, 22/8/2018] +55 99 8821-6770: Seu José não Publique mais nada não no dia da audiência a gente esclarece tudo isso sobre essas calúnias e difamações.

[13:06, 22/8/2018] +55 99 8821-6770: Um abraço

[13:07, 22/8/2018] ARIMATÉIA ROCHA: PORQUE AS INFORMAÇÕES QUE VOCÊ ME REPASSOU ESTÁ TUDO DENTRO DA MATÉRIA PUBLICADA.


Como foi publicado ontem na postagem “O LOBO NA PELE DE CORDEIRO, MAS PROTEGIDO PELA FAMÍLIA GENTIL”, diz que João Luís Júnior é contratado para trabalhar nos serviços do Município de Caxias - MA, que primeiro ele estava lotado na Secretaria de Educação e trabalhava na Escola Raimundo Nunes como cuidadores de alunos da Educação Especial, depois foi para outra Secretaria no Município a qual lhe disponibilizou para a Paroquia de São Benedito que não faz parte dos serviços municipais.

Esta outra Secretaria que paga os salários de João Luís Júnior não foi citada pelo o Senhor João Luís Júnior, também ele não fala quem lhe indicou para receber o contrato no Município, é de praxe uma pessoa “graúda” indicar alguém para receber um contrato, as pessoas que não têm quem Indique (QI) não são contratadas.

Outra coisa, como ele não me disse nada de diferente de nossa conversa a cima, fica aqui seu direito de resposta. Os leitores faram seu juízo de valor sobre o tema.