Postagens

Mostrando postagens de Junho, 2019

FOLHA CONFIRMA DENÚNCIAS SOBRE DEPOIMENTO DE LEO PINHEIRO, AFIRMA DEFESA DE LULA

Imagem
Advogado Cristiano Zanin Martins. Foto: Rovena Rosa/Agência Brasil 30 de junho de 2019 'Enquanto a acusação estava conversando com o ex-executivo sobre premiação para que ele incriminasse Lula, a defesa sequer tinha conhecimento da sua real situação jurídica', pontua Zanin Jornal GGN –  O advogado do ex-presidente Lula, Cristiano Zanin Martin, divulgou uma nota sobre a mais recente revelação dos bastidores da Lava Jato, feita neste domingo (30) pela Folha de S. Paulo em parceria com o The Intercept Brasil. A reportagem  “Lava Jato via com descrédito empreiteiro que acusou Lula”  mostra que o Ministério Público Federal aceitou iniciar as negociações de delação premiada com o ex-presidente da OAS, Leo Pinheiro, depois de quase um ano, quando ele alterou seu depoimento, incriminando Lula no caso do tríplex no Guarujá (SP). “A reportagem reforça a forma ilegítima e ilegal como foi construída a condenação do ex-presidente Lula no chamado caso do ‘triplex'”, es

ZANIN: NOVAS REVELAÇÕES MOSTRAM QUE PROCESSO E CONDENAÇÃO DE LULA DEVEM SER ANULADOS

Imagem
30 de junho de 2019 Em nota divulgada neste domingo (30) e assinada pelo advogado Cristiano Zanin Martins, a defesa do ex-presidente Lula afirma que "as novas revelac ̧ ões se somam a tantas outras que mostram a necessidade de ser anulado todo o processo e a condenac ̧ ão imposta a Lula, com o restabelecimento de sua liberdade plena"; leia na í ntegra Brasil 247 -  Em nota divulgada neste domingo (30) e assinada pelo advogado Cristiano Zanin Martins, a defesa do ex-presidente Lula afirma que "as novas revelac ̧ ões se somam a tantas outras que mostram a necessidade de ser anulado todo o processo e a condenac ̧ ão imposta a Lula, com o restabelecimento de sua liberdade plena". Leia a nota na íntegra: A reportagem publicada hoje (30/06) pelo jornal Folha de S.Paulo (“Lava Jato via com descrédito empreiteiro que acusou Lula”) reforc ̧ a a forma ilegítima e ilegal como foi construída a condenac ̧ ão do ex-presidente Lula no chamado caso d

VAZA JATO: MORO MANDOU E DALLAGNOL INVESTIU DINHEIRO PÚBLICO PARA INVESTIGAR FOFOCA ATÉ TESTEMUNHA “ARRIAR"

Imagem
 (Foto: Jorge Araújo/Folhapress) 28 de junho de 2019 “Seguinte: fonte me informou que a pessoa do contato estaria incomodada por ter sido ela solicitada à lavratura de minutas de escrituras para transferências de propriedade de um dos filhos do ex-presidente [Lula]. Aparentemente, a pessoa estaria disposta a prestar a informação. Estou então repassando. A fonte é séria.” O Intercept revelou que a mensagem acima foi enviada pelo então juiz Sergio Moro ao chefe dos procuradores da Lava Jato, Deltan Dallagnon. Além da indefensável ilegalidade, já que a colaboração entre juiz e partes é proibida, a dica de Moro revela muito mais sobre as práticas da Lava Jato. A operação não investigava fatos, investigava uma pessoa. E, nessa cruzada cujo chefe era ilegalmente um juiz, valia tudo, até fofocas que um réu por corrupção espalhava como discurso de ódio contra Lula e seus filhos. A revista Veja cruzou os dados do vazamento com a realidade. Os nomes das testemunhas que

O QUE NÃO ESTÁ NA MANCHETE DA FOLHA: MORO ESCONDEU INFORMAÇÕES DO STF

Imagem
Moro. Foto: AFP 23 de junho de 2019 Enquanto o país aguardava mais um capítulo da série “The Intercept Brasil – As Mensagens Secretas da Lava Jato”, o Diário Oficial da União informou que o ex-juiz implicado nas denúncias estava indo para os Estados Unidos, como Ministro da Justiça e Segurança Pública, “fazer visitas técnicas a instituições”. E, claro, nós acreditamos no motivo. Parece muito lógico e inquestionável que viaje para fora do Brasil, diante da crise em que está envolvido, sobremaneira para os EUA, já que existem, desde sempre, acusações e suspeitas do comprometimento de autoridades americanas na Lava Jato, incluindo a NSA e a CIA, denunciadas por Edward Snowden de espionagem internacional, por meio do mesmo jornalista responsável pelo The Intercept, Glenn Greenwald. Sim, somos crédulos das “visitas técnicas a instituições”, assim como acreditamos na versão do “não lembro se disse, mas se disse não tem problema” Ironias à parte, a verdade é que, a consi

GLENN: MORO E DALLAGNOL TERÃO AGORA QUE ENCARAR SEUS PRÓPRIOS CRIMES

Imagem
23 de junho de 2019 Numa sequência de tweets, o jornalista Glenn Greenwald comemorou a parceria com a Folha, que atestou a veracidade das mensagens, e previu dias difíceis para a dupla Moro e Dallagnol. Suas táticas de demonização e intimidação não funcionam. Eles têm que enfrentar a substância incriminadora da reportagem", diz ele 247 –  O jornalista Glenn Greenwald publicou uma sequência de tweets em que afirma que Sergio Moro e Deltan Dallagnol agora terão que encarar os seus próprios crimes. Confira: 1/ Desde antes de começar a publicar  # VazaJato , sabíamos que precisaria parceiros jornalísticos para reportar este enorme arquivo. Hoje começamos nossa primeira - mas não única - parceria com a publicação pela  @ folha . Nós explicamos a parceria  aqui. 2/ Antes de discutir as novas revelações na  @ Folha , isso é a chave: como nós, a  @ Folha  investigou o arquivo e "não detectou nenhum indício de que ele possa ter sido adulterado." Ao contrá

INTERCEPT SOLTA NOVA NEWSLETTER E DETONA DELTAN: ERA ENTUSIASTA DE VAZAMENTOS

Imagem
22 de junho de 2019 Em nova newsletter divulgada neste sábado (22), o Intercept Brasil traz diálogos que comprovam que o procurador Deltan Dallagnol defendia com afinco o direito dos jornalistas de publicar processos vazados e afirmava que autoridades são sujeitas a críticas e têm menos direito à privacidade. Em novembro de 2015, num chat chamado PF-MPF Lava Jato 2, enquanto discutiam medidas para coibir vazamentos de informações da força-tarefa (“alguns vazamentos tem sido muito prejudiciais”), Dallagnol alertou seus colegas que utilizar o poder processual para investigar jornalistas que tenham publicado material vazado não seria apenas difícil mas "praticamente impossível", porque "jornalista que vaza não comete crime" 247  -  Em nova newsletter divulgada neste sábado (22), o site Intercept Brasil traz diálogos que comprovam que o coordenador da força tarefa da Operação Lava Jato, Deltan Dallagnol, defendida com afinco o direito dos jornalistas pu

FIM DA LINHA PARA MORO

Imagem
21 de junho de 2019 "O melhor que Sérgio Moro deveria fazer, agora, era ir para casa e aproveitar a popularidade (e dinheiro) que ainda tem para contratar bons advogados e montar uma estratégia de defesa, porque o media training deu ruim", diz Leandro Fortes, do Jornalistas pela Democracia; "O ex-juiz não tem mais nenhuma condição de continuar ministro, a não ser que se disponha a viver como um zumbi dentro de um governo onde já há zumbis demais" O melhor que Sérgio Moro deveria fazer, agora, era ir para casa e aproveitar a popularidade (e dinheiro) que ainda tem para contratar bons advogados e montar uma estratégia de defesa, porque o media training deu ruim. Moro está naquele momento onde a aparência física começa a se assemelhar com o monstro apavorado que não para de crescer dentro dele. Basta ver as imagens do depoimento no Senado: o que se vê, ali, é um homem aflito, afogado em mentiras, perdendo, uma a uma, as saídas que costumava ter.

CONVERSAS SECRETAS REVELAM QUE MORO ERA QUALQUER COISA MENOS JUIZ: ADVOGADO DE FHC, ACUSADOR DE LULA

Imagem
Moro, advogado de FHC, acusador de Lula 18 de junho de 2019 A sétima reportagem da série do Intercept sobre as conversas secretas da Lava Jato revelam que Moro trabalhava com dois pesos e duas medidas Em conversa vazada anteriormente, vê-se Moro instruindo Deltan Dallagnol para investigar suposta transferência de imóveis do filho do ex-presidente petista, com o aviso: “a fonte é séria”. Não era, porque a investida da turma de Deltan Dallagnol não deu em nada. O episódio mostra Moro como se fosse o chefe da acusação. Já em relação a uma denúncia contra Fernando Henrique Cardoso, se comportou como um advogado de defesa. Conforme o Intercept, no dia 13 de abril de 2017, Moro entrou em contato com Deltan Dallagnol, coordenador da força tarefa da Lava Jato. O Jornal Nacional tinha noticiado uma delação que envolvia o ex-presidente tucano: Moro – Tem alguma coisa mesmo séria do FHC? O que vi na TV pareceu muito fraco? Moro – Caixa 2 de 96? Dallagnol – Em pp si

INTERCEPT: FALTAVA O BATOM NA CUECA, NÃO FALTA MAIS; A LAVA JATO USOU O JUDICIÁRIO PARA FINS POLÍTICOS

Imagem
16 de junho de 2019 A Lava Jato Usou O Judiciário Para Fins Políticos SUSPEITAVA-SE que a Lava Jato era um grupo político articulado entre membros do Ministério Público e o judiciário. Os indícios apontavam um conluio entre procuradores e um juiz que atuava para influenciar o jogo político-partidário e manipular a opinião pública. Faltava o batom na cueca. Não falta mais Os diálogos revelados pelo  Intercept  mostram que a Lava Jato desfilava como uma deusa grega da ética na sociedade, mas atuava à margem da lei na alcova. Em nome do combate à corrupção, o conluio atropelou princípios jurídicos básicos e arrombou o estado de direito. As provas são tão explícitas que não há mais espaço para divergências. A Lava Jato usou indevidamente o aparato jurídico para atender interesses políticos. O Código de Ética do Ministério Público, o estatuto da magistratura e a Constituição foram todos burlados. É um caso claro de corrupção. Durante o processo que levou um ex-presiden