Postagens

Mostrando postagens de Novembro, 2019

DOLEIRO DOS DOLEIROS DIZ TER PAGO PROPINAS MENSAIS A PROCURADOR DA LAVA JATO QUE FAZIA ATAQUES RASTEIROS A LULA

Imagem
(Foto: Divulgação/PRPR | Ricardo Stuckert) 30 de novembro de 2019 O doleiro Dario Messer, conhecido como "doleiro dos doleiros", contou à namorada ter sido protegido pela Lava Jato paranaense por pagar propinas ao procurador Januário Paludo, que inspirou o grupo "filhos de Januário" e fez vários ataques ao ex-presidente Lula – inclusive após as mortes de seus familiares 247 –  "O doleiro Dario Messer afirmou em mensagens trocadas com sua namorada, Myra Athayde, que pagou propinas mensais ao procurador da República Januário Paludo, da Lava Jato do Paraná. Os pagamentos estariam ligados a uma suposta proteção. Os diálogos de Messer sobre a propina a Paludo ocorreram em agosto de 2018 e foram obtidos pela PF (Polícia Federal) do Rio de Janeiro durante as investigações que basearam a operação Patrón, última fase da Lava Jato do Rio", informa  reportagem  especial do jornalista Vinícios Konchinski, produzida para o portal Uol. Um r

TRF-4 E A CONDENAÇÃO DE LULA NO CASO DE ATIBAIA: AS CONTRADIÇÕES QUE CONFIRMAM A EXCEÇÃO

Imagem
(Foto: Felipe L. Gonçalves/Brasil247) 29 de novembro de 2019 "O julgamento desta quarta-feira nada disse sobre Lula ou crimes, mas disse tudo sobre os desembargadores da 8ª Turma do TRF-4: eles levarão a farsa que é a Lava Jato até o fim, condenarão Lula contra toda lógica, razoabilidade e independente da inexistência de quaisquer provas", diz a jurista Tânia Maria de Oliveira Em setembro de 2016, respondendo às inúmeras ilegalidades cometidas na investigação, como grampos em escritórios de advocacia, divulgação de interceptação telefônica e importação de provas da Suíça, o Tribunal Regional Federal da 4ª Região decidiu que a operação Lava Jato não precisava seguir as regras dos processos comuns. Para a Corte Especial do órgão, os processos “trazem problemas inéditos e exigem soluções inéditas”. Ao julgar, nesta quarta-feira (27), a apelação criminal do processo do Sítio de Atibaia, no qual é réu o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, os três d

COLUNISTA DO GLOBO DENUNCIA O VALE-TUDO JUDICIAL CONTRA LULA

Imagem
Bernardo Mello Franco e Lula (Foto: Reprodução | Ricardo Stuckert) 28 de novembro de 2019 A perseguição do TRF4 contra o ex-presidente Lula foi tão escancarada desta vez que até mesmo um dos principais colunistas políticos do jornal O Globo, o jornalista Bernardo Mello Franco, apontou as contradições e as falhas evidentes do julgamento desta quarta-feira 247 –  Contra o ex-presidente Lula, não há lei. O que existe é um vale-tudo, uma baderna, uma zorra judicial. Esta é essência do artigo do jornalista Bernardo Mello Franco, um dos principais colunistas do Globo, que, nesta quinta, publica o artigo  Contra Lula, está liberado . "No fim de outubro, o Ministério Público Federal pediu a anulação da sentença por outra razão. Em parecer enviado ao TRF-4, o procurador Maurício Gerum citou decisão recente do Supremo Tribunal Federal. A Corte decidiu que os réus delatados têm direito a falar depois dos delatores, o que não ocorreu na ação contra Lula",

JORNALISTA DO INTERCEPT RESGATA DIÁLOGOS ENTRE GEBRAN E DELTAN NA VAZA JATO

Imagem
Leandro Demori (Foto: Alice Vergueiro/Abraji) 27 de novembro de 2019 O jornalista Leandro Demori, do site Intercept Brasil, lembrou no Twitter a denúncia da Vaza Jato em que o relator da Lava Jato no TRF-4, João Pedro Gebran Neto, teve diversos diálogos impróprios com Deltan Dallagnol, que cita "encontros fortuitos" com o desembargador para negociar a condenação de réus   247 - O jornalista Leandro Demori, do site Intercept Brasil, que vem divulgando irregularidades da Operação Lava Jato, lembrou no Twitter, que, em julho deste ano, o Intercept Brasil e Veja denunciaram que  o relator da Operação Lava Jato no Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4), João Pedro Gebran Neto, teve diversos diálogos impróprios com procuradores do Ministério Público Federal (MPF). Em uma das conversas, o procurador Deltan Dallagnol cita "encontros fortuitos" com Gebran para negociar a condenação de réus. "Falei com ele umas duas vezes, em encontros

DIREITO DE RESPOSTA DA DIREÇÃO DA ESCOLA MARIA MARQUES COURA (BAÚ)

26 de novembro de 2019 A Diretoria da escola Maria Marques Coura, Fernanda sentindo-se prejudicada na matéria: EM CAXIAS MA O PREFEITO FÁBIO GENTIL CONTRATA OS PIORES ÔNIBUS PARA O TRANSPORTE ESCOLAR, do dia 14/11/2019, requereu o direito de resposta, o qual fora imediatamente atendido e segue nos termos do requerido: NOTA  Todos os ônibus escolares terceirizados ou pertencentes à frota do município que prestam serviço à prefeitura de Caxias, passaram por vistorias no início do ano letivo e apresentaram condições mínimas necessárias para fazer o transporte de alunos. No episódio do dia 13/11 (quarta-feira), em que alguns blogs circularam notícia nas redes sociais sobre um “show de horrores” responsabilizando a direção da U.IM. Maria Marques Coura, localizada no Povoado Baú/1º distrito de Caxias-MA pelo fato, a gestão escolar, reconhece com muito pesar, que o acidente, poderia e pode acontecer com quaisquer outros veículos que circule pela MA -034 diariamente

TIJOLAÇO: TOFFOLI PREPARA O ESCÂNDALO DA ARAPONGAGEM COAF/MPF

Imagem
Ministro Dias Toffoli preside sessão plenária do STF. (Foto: Carlos Moura/SCO/STF (11/09/2019)) 16 de novembro de 2019 Jornalista Fernando Brito diz que o presidente do STF, Dias Toffoli, quer evidenciar indícios de que havia uma composição política para que o Coaf “abastecesse” automaticamente o Ministério Público. "E, notadamente, as várias 'forças-tarefa' da Lava Jato sobre pessoas que, a partir dos relatórios teriam abertos ou prontos para abrirem-se procedimentos investigatórios e inquéritos contra elas", escreve Para quem não está entendendo a atitude do presidente do Supremo, José Carlos Dias Toffoli, de recusar o pedido de reconsideração feito pelo Procurador Geral da República, Augusto Aras, para revogar seu pedido de envio de todos os relatórios produzidos pelo antigo Coaf, agora Unidade de Inteligência Financeira, recomendo refletir porque era tão importante mantê-lo sob o comando de Sérgio Moro. O que Dias Toffoli prepara para o ju

XADREZ PARA ENTENDER O ATO DE TOFFOLI REQUISITANDO OS DADOS DO COAF

Imagem
15 de novembro de 2019 A única explicação racional é que continua em andamento uma guerra interna que poderá definir o futuro da democracia brasileira “Ensinava o sábio Vitorino Freire: se vir um jabuti em cima de uma árvore, antes de tirar o jabuti pergunte quem o colocou lá.” Vale para o episódio em que o presidente do STF (Supremo Tribunal Federal), Dias Toffoli, requisitou acesso a 600 mil alvos da COAF (Conselho de Controle de Atividades Financeiras). A troco de quê Toffoli iria se expor dessa maneira? A única explicação racional é que continua em andamento uma guerra interna que poderá definir o futuro da democracia brasileira. E o ato de Toffoli não foi individual, mas dentro de uma estratégia de controle dos abusos. Vamos entender por partes. Peça 1 – a rebelião das corporações A mudança de rota nos órgãos de controle começou bem antes, quando Dilma Rousseff perdeu o controle da administração. Michel Temer tentou recuperar algum controle, nomeando u