11 fevereiro 2020

MORTE DE MILICIANO LIGADO A SUA FAMÍLIA METE MEDO EM BOLSONARO, QUE SE RECUSA A FALAR DO ASSUNTO E ATACA JORNALISTAS

Flávio, Jair, Eduardo e Carlos Bolsonaro; no detalhe ex-policial militar Adriano Magalhães da Nóbrega
Flávio, Jair, Eduardo e Carlos Bolsonaro; no detalhe ex-policial militar Adriano Magalhães da Nóbrega (Foto: Reprodução)

11 de fevereiro de 2020





Jair Bolsonaro está com medo de que a morte de Adriano da Nóbrega, comandante da mais antiga milícia do Rio de Janeiro com notórias ligações com o seu clã, afete seu filho Flávio. Por isso se recusou a comentar o assunto e ainda atacou jornalistas quando foi indagado


247 - Jair Bolsonaro evitou falar com a imprensa nesta segunda-feira (10), depois que o ex-capitão Adriano da Nóbrega, comandante da mais antiga milícia do Rio de Janeiro, integrante de um bando de assassinos profissionais no estado e ligado à sua família, foi morto durante uma operação policial na Bahia.

O ex-capitão da Polícia Militar do Rio é citado na investigação que apura a prática de rachadinha no gabinete do senador Flávio Bolsonaro quando ele era deputado estadual no Rio de Janeiro.

Bolsonaro silenciou por completo sobre o assunto nesta segunda-feira. Não deu entrevistas nem publicou notas nas suas redes sociais, como faz habitualmente. 

Reportagem dos jornalistas Talita Fernandes, Danielle Brant e Daniel Carvalho informa que Bolsonaro está preocupado com a situação do seu filho mais velho, segundo assessores do Palácio do Planalto.  

Bolsonaro tem medo das investigações em curso sobre o envolvimento de Flávio Bolsonaro com os milicianos. 

Segundo a reportagem, na manhã desta segunda-feira, Bolsonaro não permitiu que a imprensa fizesse perguntas e criticou os jornalistas.






Fonte: Brasil 247   por Talita Fernandes, Danielle Brant e Daniel Carvalho


























Nenhum comentário: