04 março 2020

EXTREMA-DIREITA ATACA MAIS UMA CASA DE REZA DOS INDÍGENAS NO MS

Reza Queimada Indígena Guarani Kaiowá Mato Grosso do Sul
Reza Queimada Indígena Guarani Kaiowá Mato Grosso do Sul (Foto: povo Guarani Kaiowá)
4 de março de 2020




No último domingo, 1, os povos indígenas Guarani Kaiowá, da aldeia Jaguapiré, no município de Tacuru, denunciaram a destruição de uma casa de reza e elementos de sua cultura




Diário Causa Operária - Está se tornando cada vez mais frequente os ataques aos indígenas do país por parte dos fazendeiros, latifundiários, grileiros, com o total apoio do governo golpista do fascista Jair Bolsonaro. Nem o direito de suas crenças os indígenas podem exercer.

No último domingo, 1, os povos indígenas Guarani Kaiowá, da aldeia Jaguapiré, no município de Tacuru, denunciaram a destruição de uma casa de reza e elementos de sua cultura. O local e objetos sagrados foram consumidos pelo fogo na madrugada deste domingo. Com claros indícios de que o incêndio tenha sido criminoso.

“Esta não é a primeira vez que uma casa de reza indígena foi destruída em 2020, em Mato Grosso do Sul. O primeiro incêndio foi registrado na comunidade Laranjeira Nhanderu, no município de Rio Brilhante, distante 163 quilômetros da Capital.” (Itaporã News – 01-03-2020)

O que está por trás dos ataques às casas de rezas

A região amazônica do País é uma vasta área para ser explorada, pois têm uma gama de riquezas cujo interesse dos capitalistas é imenso; e os próprios latifundiários da região também estão cobiçando tais terras, onde os grileiros querem entregar por uns trocados, por isso há uma constante intimidação do povo indígena.

Apesar do interesse de Bolsonaro ser o de dizimar toda a população indígena, para melhor poder concluir seu objetivo, que é o de entregar tudo de graça para esses capitalistas, resolveu colocar na direção da Fundação Nacional do Índio (FUNAI), um fundamentalista, o ex-missionário, Ricardo Lopes Dias, antropólogo ligado à organização norte-americana Missão Novas Tribos do Brasil (MNTB) - onde atuou durante dez anos. Atualmente, é membro da Igreja Batista Fundamentalista Cristo é Vida. Ou seja, para aprofundar a destruição e o confisco das terras indígenas, nada melhor que destruir aquilo que o povo indígena a credita, como forma de “civilizá-los”, por um lado, e por outro confiscando seu habitat, o que já vem acontecendo desde o início de seu governo.

Para ter ideia do confisco, mais de 21.000 hectares foram destruídos somente em 2019 em terras com índios isolados, o que representa um aumento de 113%. Em relação ao ano anterior. Dados da imperialista Organização das Nações Unidas (ONU). (El País – 27/02/2020)

Para que a situação imposta pelos golpistas do governo tenha um freio é necessária sua derrota, o que se dará através da organização do conjunto toda a população explorada, dos trabalhadores, em todos os cantos do país através de comitês uma luta pelo “fora, Bolsonaro” e novas eleições gerais.



Fonte: Brasil 247  por  Diário Causa Operária






















Nenhum comentário: