Postagens

Mostrando postagens de Maio, 2020

“É PRECISO RESISTIR À DESTRUIÇÃO DA ORDEM DEMOCRÁTICA, PARA EVITAR O QUE OCORREU NA REPÚBLICA DE WEIMAR QUANDO HITLER SE IMPÔS”

Imagem
(Foto: STF e Reuters) 31 de maio de 2020 Foi assim, em letras garrafais, que o ministro Celso de Mello, fez seu alerta aos demais colegas em relação ao que representa o projeto fascista de Jair Bolsonaro BRASÍLIA (Reuters) - O ministro Celso de Mello, decano do Supremo Tribunal Federal (STF), enviou uma mensagem a interlocutores em que disse que bolsonaristas querem instaurar uma “desprezível e abjeta ditadura militar” e compara a situação do Brasil, “guardadas as devidas proporções”, com o que ocorreu na Alemanha nazista com Adolf Hitler, segundo uma fonte que teve acesso à mensagem, obtida pela Reuters neste domingo. Celso de Mello é o relator do inquérito que investiga se o presidente Jair Bolsonaro, conforme acusou o ex-ministro da Justiça Sergio Moro, tentou interferir no comando da Polícia Federal. O magistrado é um dos principais alvos de crítica de Bolsonaro e de mais manifestações pró-governo que ocorrem neste domingo no país. O decano do STF disse que, guarda

LIDERANÇAS DIVULGAM MANIFESTO PELA DEMOCRACIA

Imagem
(Foto: Paulo Pinto - Ag. PT) 30 de maio de 2020 Um grupo de políticos, cientistas, artistas, intelectuais, organizações, empresas e pessoas de diferentes setores da sociedade se uniu em "defesa da vida, da liberdade e da democracia". De acordo com o manifesto, "como aconteceu no movimento Diretas Já, é hora de deixar de lado velhas disputas em busca do bem comum" 247  - Um grupo de políticos, cientistas, artistas, intelectuais, organizações, empresas e pessoas de diferentes setores da sociedade se uniu em "defesa da vida, da liberdade e da democracia". O movimento Estamos Juntos já tem mais de 6 mil assinaturas da esquerda à direita também inclui jornais e exige que autoridades e lideranças políticas resistam a posturas que de alguma forma colocam em risco a democracia. A divulgação acontece em um contexto no qual Jair Bolsonaro estimulou atos que pediram o fechamento do Supremo Tribunal Federal e do Congresso Nacional. Seus aliados também ameaç

ADVOGADOS DIZEM QUE MORO PEDE AO STF A JUSTIÇA QUE NEGOU A LULA

Imagem
29 de maio de 2020 Os advogados Cristiano Zanin Martins e Valeska T. Zanin Martins publicaram um artigo afirmando que Sérgio Moro pede para ser tratado enquanto investigado com um nível de imparcialidade e com o direito à ampla defesa que ele próprio não proporcionou a Lula quando era juiz Segundo o artigo, Moro atuou como déspota, tratou acusados como inimigos, negou a essência do direito de defesa, devassou, humilhou, atacou e estimulou ataques a advogados. Isso sem falar nos grampos e vazamentos ilegais e no planejamento de operações sincronizadas com o calendário político eleitoral. Agora que o ex-ministro terá que responder por possíveis malfeitos durante a sua atuação junto ao governo Bolsonaro, ele quer aquilo que nunca proporcionou ao ex-presidente Lula: Justiça. Leia a íntegra: Moro pede ao Supremo justiça que negou a Lula Quando juiz, atuou na contramão das garantias do direito de defesa As últimas declarações de Sergio Moro e de seus advogados mostra

‘É DEVER ÉTICO REPELIR AVENTURAS ANTIDEMOCRÁTICAS’, DIZEM MAGISTRADOS

Imagem
Presidente Jair Bolsonaro, em manifestação em Brasília (Sérgio Lima/AFP) 29 de maio de 2020 Sob o título  “Artigo 142 da Constituição, as aventuras antidemocráticas e os custos políticos e econômicos para a nação” , o texto a seguir é uma manifestação assinada pelos seguintes ex-presidentes de entidades da magistratura: Germano Silveira de Siqueira, Guilherme Guimarães Feliciano, Hugo Cavalcanti Melo Filho, Paulo Luiz Schmidt, Gustavo Tadeu Alkmim, José Nilton Ferreira Pandelot, João Ricardo dos Santos Costa e Jorge Antonio Maurique . (*) *** As democracias morrem. A História bem o demonstra, pelo menos desde 49 a.C. com a autoproclamação de Caio Júlio César – por acaso um general descontente – como ditador perpétuo. Mas como as democracias morrem?  Há boas pistas no estudo de Steven Levitsky e Daniel Ziblatt, docentes de Harvard, para os EUA de Donald Trump (How Democracies die?, 2018). São sinais de esgarçamento do tecido político democrático comportamentos autoritários